Sobre liberdade e saltos

Eu nunca fui muito vaidosa. Era daquelas meninas que andava de bermuda, tênis e camisão do mickey (e ta aí a única parte “feminina” desse look, se é que se pode chamar isso de feminina… rs). Cabelo sempre amarrado (mesmo porque ele não ajuda muito ne), nenhuma maquiagem, talvez uma manteiga de cacau para não ressecar e ferir os lábios quando estava frio. E era isso.

Quando fiquei um pouco mais velha, adolescente, comecei a pelo menos usar roupa de menina e dar um jeito melhor no cabelo. Uma saia, um vestido mais arrumadinho, cabelo escovado e solto. Mas continuei usando sandálias baixas, nenhuma maquiagem. Ah, unhas só eram feitas para aniversário, natal e ano novo. E olhe lá.

Quando conheci meu marido, ele sempre brincava que eu era um homem em corpo de mulher (talvez pelo temperamento também, mas abafa essa parte haha). E daí teve toda aquela história de quando eu engordei depois que mudei para o ES, e depois emagreci (acho que já contei isso aqui no blog ne?). E daí que quando eu emagreci (já com meus 26 pra 27 anos), finalmente eu fiquei mais vaidosa! Comecei a fazer as unhas semanalmente, a comprar mais roupas (mas ainda faço isso pouco, por sorte da minha conta bancária, já que ODEIO experimentar roupa, falta de paciência mesmo), usar alguma maquiagem pelo menos para sair a noite. Comecei até a usar SALTOS!

E não é que me apaixonei pelos saltos? Afinal, quem não se sente imponente do alto de um salto tendo apenas 1.61m de altura? Comprei vários! (ta, uns 10 ou menos, que são vários pra mim, que não sou uma mulher típica haha). Adorava quando tinha que trabalhar no escritório pra poder usar minhas roupas novas e meus saltos babadeiros.

Mas um belo dia (nem tão belo assim) fui impedida de continuar gostando dos meus saltos. Descobri uma lesão nas cartilagens do joelho decorrentes da minha pisada errada + corrida de rua, e tive que parar com as duas coisas, a corrida e os saltos. Continuei vaidosinha, usando minhas roupas, alguma maquiagem pra trabalhar no escritório. Mas me rendi novamente as sapatilhas e rasteirinhas, no máximo um salto anabela.

Gente, LIBERDADE. Os saltos são realmente lindos e fazem no visual de uma mulher o que nenhuma outra peça consegue. Mas sapato baixo é liberdade. Nenhuma dor, nenhum calo, nenhum desconforto.

E aí meu joelho melhorou, não curou porque cartilagem não tem conserto, mas melhorou bem. Mas meus saltos? Ficaram lá no meu armário me olhando com saudades esperando por alguma ocasião especial, para quem sabe, poderem dar uma voltinha. =)

Anúncios

4 opiniões sobre “Sobre liberdade e saltos

  1. hahaha bate aqui amiga \o somos muito parecidas hein! e tbm sou homem em corpo de mulher segundo meu marido.
    Amoo sapatilhas e rasteirinhas (talvez eu seja mais riponga só aushuahsuahs). E vamos combinar né, moramos na praia e não há coisa melhor que sapato sem salto.

    E cadê as receitas??? Quero mais legumes por favor 😛

  2. Gente pq so agora estou sabendo do seu blog??? Ha???? Mas, morri de rir aqui lembrando dos momentos de adolescencia. E as fotos…. ai ai! Pra sua sorte esse espaco de comentarios nao anexa imagens! Bjo amiga linda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s