Eu preciso falar sobre a Espanha – Barcelona

Ah, a Espanha… Bem, ela não estava entre as minhas prioridades da Europa (porque ne gente, viajar pra Europa sai caro e é preciso priorizar, pelo menos até eu levar a mega.. hehe). Minha intenção em 2016, na realidade, era ir pra Itália. Mas aí apareceu um cruzeiro dos Backstreetboys e a maluca aqui resolveu ir (contei tudo sobre o cruise aqui). E o navio saía de onde? Isso mesmo, da Espanha. De Barcelona pra ser mais precisa.

Bom, já vou estar na Espanha, que sentido faz eu não conhecer o país? E a isso somou-se o fato do meu marido não poder mais ir se encontrar comigo lá e decidi ficar alguns dias na Espanha, afinal, oportunidade de conhecer a Europa a gente não pode perder nunca.

Eu ia para o cruise com mais 5 amigas. A intenção é que pelo menos algumas também topassem conhecer a Espanha. Como todo grupo de mulheres, tudo se resolveu muito fácil e rapidamente (só que jamais). Eu que sou muito prática e gosto de resolver as coisas com antecedência, decidi que ficaria 5 dias em Barcelona e 4 em Madri, sendo que em um destes eu iria a Toledo.

O primeiro dia de Barcelona foi o dia que antecedeu o cruzeiro. Como cheguei no fim da tarde, a única coisa que deu pra aproveitar foi um restaurante ótimo de tapas chamado La Flauta. No dia seguinte de manhã já embarcamos. Quando voltamos, chegamos ao apartamento por volta da hora do almoço. Como a maioria das nossas amigas ia embora, aproveitamos para fazer as últimas coisas juntas e dar uma volta por Barcelona.

BARCELONA – DIA 1

Barcelona é uma cidade maravilhosa, muito arborizada, limpa e cheia de gente bonita. Paramos primeiro na praça Catalunya e depois fomos as famosas obras arquitetônicas de Gaudí: La casa Mila (La Pedrera) e La casa Batló.

Depois fomos passear pelas ramblas, uma avenida bem grande cheia de restaurantes e lojinhas e barracas de souvenirs onde paramos pra almoçar. Demos também uma passada no mercado La Boqueria que é um mercado municipal onde você vai encontrar frutos do mar, azeitonas, frutas, presunto pata negra, jamons e outras comidinhas.

Infelizmente três das nossas fiéis escudeiras tiveram que nos deixar, então ficamos eu, Anne e Paula Juliana mais 3 dias em Barça.

BARCELONA – DIA 2

Apesar do ainda infinito cansaço devido a falta de sono do cruise, levantamos cedo porque tínhamos ingressos agendados para a Sagrada Família. ATENÇÃO, se você vai a Barcelona TEM que visitar a Sagrada Família e COMPRE INGRESSO ANTECIPADO NO SITE, ou você vai pegar uma fila enorme, isso se conseguir entrar.

Pois bem, a Sagrada Família é maravilhosa e emocionante. Pegue o áudio guia para saber todos os detalhes dela, vale muito a pena.

Toda a história começou em março de 1882, quando o arquiteto diocesano Francisco de Paula del Villar projetou a igreja. Um ano mais tarde, ele entregou à Gaudí, quem não abandonou o projeto até sua morte, em 1926. Depois disso, diferentes arquitetos continuaram o trabalho. O valor dos ingressos dos visitantes para entrar na igreja é revertido para a construção. Não há nenhum financiamento institucional ou governamental para concluir a construção, a qual depende de doações, etc. Gaudí uma vez disse: “A igreja expiatória de La Sagrada Família é feita pelo povo e é espelhado neles. É uma obra que está nas mãos de Deus e na vontade do povo”.

EXTERIOR

Para a igreja expiatória de La Sagrada Família, Gaudí propôs melhorar a estrutura gótica das principais catedrais européias e do projeto do primeiro arquiteto da igreja, e planejou uma estrutura equilibrada de colunas que se ramificam como árvores, como a culminação de estudos estruturais de seus outros edifícios.

INTERIOR

As colunas se ramificam como galhos de árvores e toda a cobertura foi projetada para dar a sensação de que as pessoas estão protegidas por copas de árvores, dentro de uma floresta.

Para comprar o ingresso antecipado: http://www.sagradafamilia.org/en/tickets/

Pode agendar de 09:00 as 19:15 de 15 em 15 minutos.

Uma boa dica é dar uma volta na praça que fica na frente para ver mais ângulos do prédio e depois dar uma volta na própria Sagrada Família pelo lado externo para ver os detalhes de todos os ângulos.

Praça Sagrada Família

Praça em frente a Sagrada Família – Paula Juliana, Anne e eu

Depois fomos para o Park Guell onde tem mais obras de Gaudí. Infelizmente não compramos os ingressos pela internet e não deu pra entrar. Mas por fora já deu pra ver e a parte aberta do parque também é uma delícia. Saindo do parque a direita e descendo a primeira rua a esquerda tem uma lanchonete ÓTIMA.

Eusebi Güell confiou a Gaudí o plano e projetar um elegante condomínio com casas de família em uma grande propriedade que Güell tinha adquirido na zona popularmente conhecida como Muntanya Pelada (montanha pelada). Mas o conjunto habitacional não teve sucesso e o espaço foi transformado em parque público. Güell queria recriar os bairros residenciais britânicos de elite e foi por isso que ele usou a forma Inglês “Park” no nome Park Güell.

Como comprar ingresso antecipado: http://www.parkguell.cat/en/buy-tickets/. Pode agendar de 08:00 as 20:30 de 30 em 30 minutos.

E para finalizar o dia, fomos para o Camp Nou, o estádio do Barcelona.

BARCELONA – DIA 3

Começamos o terceiro dia pela plaza Espanya que fica logo na entrada de Montjuic, que é o parque olímpico de Barcelona. Próximo a esta praça fica o shopping arena que tem uma vista linda da cidade no terraço. Use o elevador externo para subir, se não me engano custa 1 euro.

IMG_9294

Plaza Espanya vista pelo terraço do shopping Arena

E Montjuic? O LUGAR É LINDO!

Saindo da plaza Espanya a caminhada é lindíssima e cheia de escadas rolantes (sim, ao ar livre e ninguém estraga, mara ne?) e tem a fonte mágica. Um dos meus lugares prediletos de Barcelona.

O Parc de Montjuïc está localizado na montanha de Montjuïc (“monte dos judeus” em catalão antigo), o pulmão verde de Barcelona. Dois grandes eventos internacionais estão por trás da urbanização e renovação de Montjuïc: o primeiro, a Exposição Internacional de 1929 e vários anos mais tarde, os Jogos Olímpicos de 1992.

De lá, pegamos o teleférico para descer até a praia de Barceloneta onde almoçamos, conhecemos uns italianos divertidíssimos e de quebra ainda pegamos um carnaval fora de época. Me senti no Rio! hehe

BARCELONA – DIA 4

No último dia as meninas resolveram ir fazer compras e eu fui sozinha fazer o resto do roteiro. Era dia de conhecer a parte velha da cidade.

Primeiro fui ao arco do triunfo. O Arc del Triunfo não comemora nenhuma vitória, como muita gente pensa. Ele foi construído para a Exposição de 1888 e era a porta de entrada do evento.

E depois explorei bem o parque Ciutadella. O parque ocupa o terrado onde, durante 150 anos, foi uma fortaleza, ciutadella, construída pelo rei Felipe V, depois da guerra de sucessão espanhola, no século XVIII. Atualmente, o parque abriga o Parlamento da Catalunha (edifício do antigo arsenal), um Instituto de educação secundária (antiga casa do governador da Ciutadella), e também a réplica, em tamanho natural, de um Mamute. Da exposição de 1888 resta o Castelo dos 3 dragões, que era o café da exposição, construído por Domènech i Montaner, e uma cascata, em que Gaudí ajudou a construir quando ainda não era famoso. Lá também tem um invernadeiro, exemplo típico de arquitetura de ferro e cristal dos tempos da torre Eiffel. O Mamute fazia parte de um projeto que tinha por objetivo construir varias réplicas de animais pré-históricos pelo parque. Mas, o dinheiro acabou e só o Mamute foi construído.

Depois fui andar pelo bairro gótico que é onde a cidade teve início e visitei o antigo templo romano de Augusto. Depois fui até a Igreja Santa Maria Del Mar (as igrejas são lindas, mas não vale a pena pagar para entrar). Também visitei a Catedral de Barcelona que é uma construção gótica lindíssima e tem uma vista bacana do terraço. Na parte da manhã a entrada no templo é de graça (exceto domingos), mas durante a tarde é preciso pagar 7 euros.

Uma passarela liga o Palau de la Generalitat e a Casa dels Canonges, passando por cima da rua del Bisbe. Não se esqueça de tirar uma foto quando passar por lá, afinal esse é um dos símbolos do Bairro Gótico.

Encontrei com as meninas no fim do dia no bairro gótico mesmo para um almoço delícia em um bistrô.

No fim do dia fomos a champagneria. Fica em Barceloneta e uma loja muito pequena, cheia de comidas de buteco e cavas para comprar a garrafa ou a taça a um preço muito barato! Não deixe de ir! Mas chegue cedo se quiser comprar garrafas, porque a lojinha não fica aberta a noite. E assim terminou nossa aventura pra Barcelona e a Anne e a Paula Juliana iam embora no dia seguinte.

Mas e eu? Ainda tinha Madri e Toledo lembram? Pois é. No fim ninguém resolveu ir pra Madri comigo e de repente me vi ficando em uma cidade da Europa por 4 dias sozinha! Eu nunca tinha viajado sozinha. E quer saber? Foi A MELHOR COISA QUE EU FIZ. Foi incrível! No próximo post… 😉

Anúncios

Uma opinião sobre “Eu preciso falar sobre a Espanha – Barcelona

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s